Processo de seleção dos discípulos

Uma pergunta que nos fazemos na formação de grupos de discipulado é "quem devo convidar para fazer parte?". Neste artigo, David Kornfield nos desafia a olhar para os critérios que Jesus utilizou ao selecionar o seu grupo de discípulos.



INTRODUÇÃO


A. Em um time de futebol, de quanto o sucesso depende da escolha dos jogadores certos?


B. De quanto um sucesso de um casamento depende da boa escolha?


C. No discipulado costumamos dizer que 50% do sucesso depende da seleção. Você pode ser o melhor discipulador que existe, mas se escolher errado falhará. Você pode ser um discipulador medíocre, mas se escolher bem, terá resultados excelentes!


D. Quando alguém está escolhendo uma pessoa para se casar, quais são alguns dos passos tomados para fazer essa decisão?


E. Se você iniciasse um processo de escolha de um grupo de discipulado, como faria?


F. Quando Jesus selecionou seus discípulos, Ele usou pelo menos cinco processos chaves:


1) Encontros divinos

2) Padrões divinos

3) Alta exigência

4) Discernimento quanto a quem respondia sua voz, e,

5) Oração, confirmando os nomes com o Pai.

Estudaremos cada um destes processos um pouco mais.


1. Parece que o processo de seleção começou com Encontros Divinos.

Encontros divinos são encontros pessoais onde a vida onde a vida de alguém é marcada para por receber sabedoria, direção ou poder de Deus pela ajuda de outra pessoa.


O relatório da vida de Jesus nos evangelhos nos indica que ele tinha muitos encontros divinos. Podemos ver abaixo uma lista dos encontros divinos que Ele teve com seus discípulos antes que eles fossem separados para serem os doze.


A. André: Jo 1.35-41; Mc 1.16-18; Lc 5.1-11; Mc 1.29-31; 1.35-38.

B. Pedro: Jo 1.41-42; “ “ “ “

C. Tiago: Mc 1.19-20 “ “ “

D. João: “ “ “ “

E. Mateus: (Levi): Mt 9.9-13 (Mc 2.3-17)

F. Filipe: João 1.43-45

G. Natanael: João 1.45-51

Para termos encontros divinos precisamos estar intimamente ligados a Deus!


Lembre-se que nem todo encontro divino indica que alguém deve ser discipulado. Só é um dos cinco passos.

2. Em segundo lugar, Jesus procurou encontrar as pessoas que entrariam no padrão divino com Ele.


Um padrão divino é quando a visão, o compromisso e o ritmo de vida de várias pessoas coincidem.

A. Por quanto tempo Jesus estava com os doze antes de escolhê-los para serem seus discípulos formalmente?

1) Foi imediato, depois do seu batismo.

2) Umas semanas.

3) dois ou três meses

4) Seis meses

5) Doze meses

6) Dezoito meses (na metade do seu ministério de três anos).

B. Essa escolha está indicada em Marcos 3.13-19 e Lucas 6.12-15 e ocorreu na primavera do ano 28. Notemos rapidamente os eventos que aconteceram antes que Jesus escolhesse os doze.


CRONOGRAMA PARCIAL DO MINISTÉRIO DE JESUS


C. Jesus estabeleceu um padrão divino onde três coisas coincidiram nas vidas dos discípulos e na dEle:

1) Visão

2) Um crescente compromisso pessoal

3) Ritmo de vida juntos


3. A terceira característica do processo de seleção que Jesus usou foi Suas altas exigências. Ele procurava o tipo de pessoa que valesse a pena investir. Não procurou grande número de pessoas. Já pudemos ver nas passagens que lemos que Jesus exigia bastante. Ele também ensinou repetidamente que ninguém poderia ser seu discípulo se não entregasse tudo (Lc 9.23-26; 9.57-62; 14.25-35).


As pessoas que escolhermos reproduzirão, bem ou mal. É muito importante que sejam pessoas fiéis e idôneas para instruir.


2 Tim 2.2

4. A quarta característica da seleção de Jesus foi discernimento quanto a quem respondia a sua voz. (João 10.3-5, 16, 27).


Pode-se distinguir tais pessoas, reconhecendo quem está atraído por você, e quem ouve e obedece a suas sugestões, ensinos e tarefas de como seguir melhor ao Senhor.


Atos 15 – Barnabé e Paulo

B. Devemos desenvolver o costume de dar tarefas a outros e ver quem nos leva a sério.


Por exemplo, muitos pastores passam boa parte de sua semana apagando fogos, aconselhando pessoas em crise, respondendo às necessidades urgentes de seus membros. Você pode poupar muitas horas cada semana com a seguinte sugestão. Quando alguém pedir para se encontrar com você para aconselhamento, você poderia dizer: “Fulano, eu gostaria muito de encontrar com você! Me permite pedir um favor antes de marcar esse encontro? Por favor leia ____________ e ___________ e anote dez princípios que se aplicam a sua situação. Então volte e marque o encontro.”


Você encontrará três tipos de pessoas:


1. Pessoa que não faz a tarefa designada e não vem para o encontro com você.

2. Pessoa que vem para o encontro com você, mas não fez a tarefa previa designada.

3. Pessoa que realiza a tarefa previa designada e vem preparada para compartilhar no encontro com você.


Em qual das três pessoas vale pena investir mais?


5. A quinta característica da seleção de Jesus foi oração, confirmando os nomes com o Pai.

Devemos sentir que o próprio Deus está indicando as pessoas nas quais Ele quer que invistamos nossas vidas.

Lc. 6.12-16. Jesus passou a noite orando, mesmo sendo o Messias, com sabedoria do alto, sendo cheio do Espírito. Por quê?


João 17.6. “Os homens que me deste do mundo. Eram teus. Tu mos confiaste...” Jesus era discipulador, não dono destes homens. Entendia que deveria dar contas ao Pai quanto a eles.

1 Sm 16.6,7. Se formos atraídos pela aparência, podemos ficar com um Eliabe quando Deus está querendo nos dar um David.


Dr. Keith Phillips dedica o capítulo nove de seu livro A Formação de Um Discípulo ao tema de seleção, como também faz o doutor Robert Coleman no primeiro capítulo de seu livro O Pleno Mestre de Evangelismo. Ambos os livros são muito importantes para alguém que quer cumprir a Grande Comissão. Phillips indica cinco qualidades de alguém em quem vale a pena investir a vida, e Coleman acrescenta uma:

A. Ele é consagrado a Deus. Deseja conhecer intimamente a Deus; procura o reino de Deus acima de todas as outras coisas (Mt 6.33)


B. Ele está disponível (Lc 9.57-62; veja Mt 11.12).


C. Ele é submisso à palavra e responde à sua voz (João 10.3-5).

D. Ele é fiel. Cumpre com sua palavra (2 Tm 2.2; Sl 15).

E. Ele é líder, tem seguidores. Procura fazer discípulos, quer reproduzir (João 1.41,42,44-46; Mt 4.18-20; 2 Tm 2.2).

F. Ele é ensinável; está motivado para aprender (Coleman) (Mt 5.6; 13.10-13; Hb 5.11-14)

PERGUNTAS:

  1. Se você começasse o processo de selecionar algumas pessoas para discipular, como você começaria?

  2. Caso já esteja num grupo de discipulado como você avalia a si mesmo e aos integrantes de seu grupo quanto as características que Jesus usou no processo de seleção dos discípulos?

David Kornfield

388 visualizações1 comentário

Capacitações

- Discipulado & Mentoria
- Liberdade em Cristo
- Mentoria Avançada
- Sabedoria do Lar

Redes Sociais

Acompanhe

Mulheres Mentoras

nas redes sociais:

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

Contato

Rua Moisés Salomão, 76
Apartamento 103

Catalão-GO

CEP 75703-030

Tel: (61) 99939-4185

© 2019 - Mulheres Mentoras