Capacitações

- Discipulado & Mentoria
- Liberdade em Cristo
- Mentoria Avançada
- Sabedoria do Lar

Redes Sociais

Acompanhe

Mulheres Mentoras

nas redes sociais:

  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle

Contato

Rua Moisés Salomão, 76
Apartamento 103

Catalão-GO

CEP 75703-030

Tel: (61) 99939-4185

© 2019 - Mulheres Mentoras

O segredo do líder influente

Em seu livro “Discipulado: O caminho para firmar o caráter cristão”, Howard Hendricks destaca a habilidade de lidar com as pessoas como característica da liderança promissora.


Por Howard Hendricks em “Discipulado: O caminho para firmar o caráter cristão” (Editora Betânia)


Ao examinarmos a vida de Elias, muitas vezes não notamos sua atitude de respeito. Temos aí um homem que enfrenta reis e faz descer fogo do céu. Imaginamo-lo ousado, valente e loquaz.


No monte Carmelo, percebemos claramente que ele gostava de um espetáculo. Mas ao entregar a mensagem de Deus ao rei Acabe, mostrou-se respeitoso, direto, contido e comedido. Se ele tivesse atacado verbalmente a Acabe, ninguém poderia criticá-lo, já que esse rei o recebeu com nítida irritação: “Já me achaste, inimigo meu?” (1Rs 21.20). E o rei nem era digno de respeito, pois, como nos informa o autor de 1Reis: “Ninguém houve, pois, como Acabe, que se vendeu para fazer o que era mau perante o Senhor, porque Jezabel, sua mulher, o instigava; que fez grandes abominações...” (21.25,26).


Não obstante, Elias falou-lhe com brandura e ao mesmo tempo com firmeza. “Achei-te...” (21.20). Sem desejar irritar ainda mais o rei, entregou-lhe a mensagem de Deus, tratando-o com o respeito que poucos teriam por ele.


Em resposta, Acabe fez algo totalmente inesperado, humilhou-se perante o Senhor (21.27). Quem sabe o que se passou na cabeça de Elias quando viu o arrependimento de Acabe? Seria até natural que ele rejeitasse essa atitude do rei e a considerasse falsa. Mas a Bíblia não indica se foi assim que Elias a interpretou. Talvez o profeta estivesse convicto de que não lhe cabia julgar o coração de Acabe. É possível que ele se tenha lembrado de que até um rei perverso pode receber o perdão do Deus de misericórdia quando se humilha e deixa seus maus caminhos.


Tratar outros com respeito é sinal de autoconfiança. Se um indivíduo usa de força para conseguir o que deseja, provavelmente é uma pessoa muito insegura. Por outro lado, quem trata os outros com deferência, demonstra um domínio próprio que indica confiança. Aquele que controla a si mesmo não precisa intimidar os outros para sentir-se superior.


“Aquele que controla a si mesmo não precisa intimidar os outros para sentir-se superior.”

O exemplo máximo dessa atitude de respeito é o Senhor Jesus. Ele tinha autoridade para dar ordem ao vento e à chuva. Contudo, humilhou-se perante as autoridades de seu tempo. “Pois ele, quando ultrajado, não revidava com ultraje; quando maltratado, não fazia ameaças...” (1Pe 2.23).


Da mesma forma, quando Pedro e João foram presos e levados perante o Sinédrio por haverem falado de Cristo, foram avisados de “que absolutamente não falassem, nem ensinassem em o nome de Jesus” (At 4.18). Admiro-lhes a atitude de respeito. Não reclamaram. Não retrucaram. Não tentaram manipular a Corte. Simplesmente responderam com educação e ousadia: “Julgai se é justo diante de Deus ouvir-vos antes a vós outros do que a Deus; pois nós não podemos deixar de falar das cousas que vimos e ouvimos” (At 4.19,20).


David Roper declara: “A maneira de expressar uma mensagem é tão importante quanto a mensagem em si. Há um vínculo indissolúvel entre ambas. Sem bondade, a verdade é simplesmente um dogma. Sem a verdade, a bondade é mero sentimentalismo. Somente a verdade de Deus, dita com bondade e sinceridade, tem o poder de gerar harmonia”.


“Somente a verdade de Deus, dita com bondade e sinceridade, tem o poder de gerar harmonia.” David Roper

Ninguém conquista respeito sendo o mais durão do bairro. Acabe foi um dos reis mais duros do Velho Testamento, mas poucos o respeitavam. Diante dele havia tremor, mas não temor. Não; foi Elias quem recebeu toda honra e popularidade. Por quê? Porque representava o Senhor. Por causa disso, foi-lhe possível tratar até mesmo Acabe com um respeito que ele não merecia. Ele demonstrou uma verdade que Isaías enunciou: “O efeito da justiça será paz, e o fruto da justiça, repouso e segurança, para sempre” (Is 32.17). •

Hendricks, Howard. Discipulado: O caminho para firmar o caráter cristão. 2ª Ed. Belo Horizonte: Betânia, 2005. Pgs. 86-88.


Saiba mais!


O texto que você acaba de ler foi extraído do livro Discipulado: O caminho para firmar o caráter cristão, escrito por Howard Hendricks (Editora Betânia). Na obra, por meio de uma extraordinária análise da experiência de Elias e Eliseu, Howard Hendricks destaca os princípios de Deus que marcaram a vida desses dois profetas. E, de maneira incrivelmente prática e relevante, ele ensina como aplicar esses princípios aos dias atuais. Para adquirir o livro, clique aqui.


E tem mais!

Acompanhe a série de vídeos baseados no livro de Howard Hendricks, apresentados por Ilaene Schüler, coordenadora de Mulheres Mentoras. Acesse nosso canal oficial no YouTube e não perca nenhuma novidade!


Leia também:

Seja mentor da próxima geração

A importância do mentor e os benefícios da mentoria

O valor de um amigo

188 visualizações